Mais um match de baleia de bossa entre Cabo Verde e Açores

whale azores futurismo

Hoje temos uma grande novidade para partilhar convosco! A foto-identificação de cetáceos que se faz por todo o mundo, ganha cada vez mais sentido!

Esta magnífica baleia de bossa que avistámos ao largo de São Miguel no passado dia 8 de maio, foi avistada na ilha da Boa Vista, em Cabo Verde no passado mês de abril, dia 4!!! Não é magnífico?

Viajou pelo Oceano Atlântico mais de 2 mil km num mês!! Que grande descoberta este match desta maravilhosa baleia de bossa. Pode ver aqui a publicação feita pela Boa Vista Tours.

Esta é a altura da sua migração. O que sabemos é que as baleias de bossa do Atlântico Norte passam os meses frios do inverno e início de primavera no hemisfério norte em águas temperadas e subtropicais mais quentes, onde se reproduzem e dão à luz. Quando o verão está à espreita, começam o trajeto de volta para as áreas de alimentação no norte do Oceano Atlântico. Como é fantástico estudar estes gigantes do mar.

Em cada viagem que fazemos, os biólogos da Futurismo recolhem dados sobre as diferentes espécies de cetáceos que avistam, desde a localização por GPS onde se encontram os animais, a data e a hora, tiram fotos e analisam comportamentos. Todas as informações recolhidas são usadas para complementar o nosso conhecimento sobre essas espécies e contribuir para a comunidade científica, fornecendo informações desta área do Atlântico.

Foi graças à colaboração que temos com a rede de foto-identificação de baleias de bossa do Atlântico e à partilha de fotografias e dados com a mesma, que se conseguiu fazer este match entre os Açores e Cabo Verde.

Connosco, a sua experiência de observação de cetáceos torna-se mais rica, fruto do trabalho feito diariamente. As baleias de bossa são as mais acrobáticas de todas as espécies de baleias de barbas. Dão saltos de cortar a respiração como bem mostram estas extraordinárias fotografias!

Mas também batem com a cauda e com a barbatana peitoral. Distinguem-se pelas longas barbatanas peitorais (que podem atingir até 5m de comprimento), e pela sua cabeça com protuberâncias (que são, na verdade, folículos pilosos). Entre machos e fêmeas também há diferenças. O indivíduo macho pode chegar aos 15m e as fêmeas aqui ganham, podem atingir os 16m. Saiba mais sobre os projetos de investigação da Futurismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You May Also Like